Como Empreender na Educação: O Guia Completo – #Parte 1

Como Empreender na Educação: O Guia Completo – #Parte 1

O mês de novembro é o mês destinado à ações de Empreendedorismo. Com a Semana Global do Empreendedorismo, ações em todo o país foram realizadas com a finalidade de fortalecer a educação empreendedora e claro, estimular o empreendedorismo nos diversos setores da Economia. Assim, é claro que a Educação Inovadora não poderia ficar de fora.

As atividades da Aula Incrível nesse mês foram dedicadas a esse assunto, que ao meu ver é essencial para o  Educador que está inovando ou buscando inovar suas práticas de ensino. Considerando ainda que o ato de empreender é..

“.. ter autonomia para usar as melhores competências para criar algo diferente e com valor, com comprometimento, pela dedicação de tempo e esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, físicos e sociais.” Hashinomoto

Assim, o ato de inovar está muito ligado ao fazer diferente. Esse diferente para ter efetividade, certamente precisa ser entregue com um valor significativo. Afinal, estamos na luta pela aprendizagem significativa.

Ao propor uma inovação, automaticamente assumimos riscos,como exemplo o risco da não aprovação de partes do processo de ensino e aprendizagem, como alunos, pais, instâncias superiores da escola etc. 

E, embora sentimos e vivemos tais riscos, não importa. Continuamos dedicando tempo e esforço, apanhando, aprendendo, melhorando  e persistindo por uma educação com mais significado.

Ao meu ver, isso é inovar, isso é ser um empreendedor na Educação. Mas não é só isso.

O Professor empreendedor, além de empreender em sua sala de aula,  também pode aumentar seu leque de inovações, criando e vendendo um produto ou serviço que represente sua expertise como Educador.

Tenho certeza que você que está lendo aqui agora, faz coisas que só você faz: elaborar planos de aula, fazer um diário de classe impecável, utilizar um aplicativo como mais ninguém, elaborar apresentações poderosas em slides, falar com uma dicção excelente, enfim.

Estou falando a verdade? Aposto que sim.

Assim, criamos esse guia para que você possa refletir sobre todos esses aspectos e quem sabe acender ou clarear a luz do empreendedorismo na educação em sua vida.

Nesse guia você navegará em:

PARTE 1: COMO TER UMA IDEIA INOVADORA, CRIATIVA E EMPREENDEDORA EDUCACIONAL

1.1 FORMAS DE ESTIMULAR A CRIATIVIDADE

1.2 MÉTODO WALT DISNEY

1.3 IDEIAS PARA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: PROPOSTA DE VALOR

Hoje iniciaremos com a parte 1. Aproveite a cadastre seu email em nossa lista, para receber direto no seu email os próximos capítulos do guia.

COMO TER UMA IDEIA INOVADORA, CRIATIVA E EMPREENDEDORA EDUCACIONAL

Geralmente uma ideia vem de uma inspiração. Se você já teve uma ideia para empreender, das duas uma: Ou você se inspirou em alguém que falou ou escreveu algo, ou acendeu uma luz interna em você para, a partir de uma habilidade sua, fazer a diferença com a criação de algo para compartilhar com outras pessoas.

Para se ter uma ideia é necessário  sonhar. Sonhar com possibilidades que você  poderia criar a partir de algo que você sabe fazer.

“Todos os nossos sonhos podem-se realizar, se tivermos a coragem de persegui-los.” Walt Disney

 Para sonhar não existe limite, assim como a criatividade. Para ser criativo é necessário ter uma mente fértil como a de uma criança, e que na verdade todos nós ainda temos. O que é preciso mesmo, é praticar e redescobrir todo esse potencial que todos nós possuímos.

FORMAS DE ESTIMULAR A CRIATIVIDADE

Algumas formas para estimular a criatividade é:

  • Và eventos não necessariamente de temas ligados à sua área de atuação. Fazer links e combinar coisas aleatórias é um bom exercício de criatividade;
  • Conheã e converse com pessoas “por acaso”. É possível que em “um acaso” surja uma parceria ou uma contribuição para sua ideia.
  • Não tenha medo de falar de sua ideia para as pessoas. Elas podem contribuir, acredite;
  • Faça o exercício de pensar além do óbvio, fora da caixa;
  • Treine ser mais lápis e menos borracha;
  • Acredite mais, escreva e crie as possibilidades, mesmo que em linha tortas ainda;
  • Não se preocupe com o imperfeito. A perfeição vem com o tempo.

Nessa fase da ideação é interessante fazer brainstorms, ou seja, ter um momento para registrar de alguma forma as ideias para executá- las e aprimorá- las em momento posterior.

O MÉTODO WALT DISNEY

Um método muito legal ara fazer brainstorms é o método de Walt Disney. Disney sonhava, depois criticava sua ideia e depois executava- as dentro do que era viável.

SONHAR: Sonhe, imagine e deixe sua mente ir em qualquer lugar sem considerar qualquer variável de tempo, possibilidades, NADA!

No momento do sonho, simples palavras podem determinar a continuidade do sonho. No momento do brainstorm por exemplo, de um raciocínio para outro, experimente pensar e falar as palavras  “ Sim, e…” ao invés de “Não, mas…”. ou seja, “dê corda” para a ideia. Evite criticar. Esse exercício não anula uma ideia anterior, e sim, valida o que já foi pensado ou falado e acrescenta um ponto de melhoria.

CRITICAR: Depois de sonhar é necessário refletir o que poderia ser melhor. Criticar não é jogar uma ideia no lixo, mas cortar as arestas e dar a chance para mente saber que ela pode pensar, ser e fazer ainda melhor.

REALIZAR:Agora é hora de colocar o pé no chão e transformar o sonho e a crítica em algo realista, possível de realizar. Aldo realista não é algo mal feito, mas sim algo viável, algo possível com toda a essência do sonho e do espaço para melhorias.

IDEIAS PARA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: PROPOSTA DE VALOR

Além disso, uma ideia boa é uma ideia que resolva o problema de um grupo de pessoas e quanto mais segmentado esse grupo, melhor.

Então, é necessário você  pontuar e refletir: qual problema pontual eu consigo resolver com essa ideia de negócio? Por exemplo: A minha ideia é dar aulas particulares de matemática básica para alunos das séries iniciais de graduação em engenharia. O problema que eu resolvo é a deficiência de aprendizagem de matemática básica para tais alunos.  

Assim, uma ideia de negócio também precisa entregar valor para seus possíveis clientes. E no mundo dos negócios inovadores, o principal valor para um cliente é a solução de um problema que ele tenha.

Para finalizar proponho as seguintes reflexões..

Quem são seus clientes? O que fazem? O que querem?

Consegue refletir qual a ferida que seu cliente quer curar?

Qual o principal problema que você resolve com sua ideia inovadora?

Pratique as reflexões e até a próxima.

Na parte 2 desse guia vamos explorar as FERRAMENTAS PARA PLANEJAR E ORGANIZAR UMA IDEIA DE NEGÓCIO EDUCACIONAL. Até lá..

Sobre o autor | Website

Sou Gabriela, uma professora apaixonada por tudo que pode ser útil e inovador para o ensino e aprendizagem.Com especialidade em Didática e em Tecnologias da Informação e comunicação, criei o blog para compartilhar minhas experiências e hoje ajudo outros professores a tornar suas aulas em experiências muito mais engajadoras ;)